Qual é a diferença de medo e fobia?

Você nasceu para voar
28 de maio de 2019
Excesso de medo de ficar sem celular pode ser nomofobia
O que é nomofobia?
19 de julho de 2019
Exibir tudo

Qual é a diferença de medo e fobia?

Diferença de medo e fobia

Antes de mais nada é essencial você saber que existe diferença de medo e fobia. 

Medo é uma resposta biológica de proteção, funciona como um alerta natural aos perigos que se aproximam. 

Fobia é a sensação exagerada do medo que te paralisa frente às dificuldades. 

O medo é uma emoção muito importante para a sobrevivência, por funcionar como um alerta natural. 

De maneira geral essa sensação é natural e saudável, nos protegendo de situações de risco, mas em excesso pode causar sofrimento, e tornar-se um transtorno ansioso.

No caso da fobia os sintomas são incontroláveis e o sofrimento passa a ser o foco mais importante. 

Só para exemplificar a fobia pode gerar comportamentos de fuga, evitação e sensações fisiológicas. 

As fobias podem ser classificadas em social, específicas ou agorafobia.

O transtorno de ansiedade social (TAS), também conhecido como “fobia social” é um medo persistente de expor-se mesmo diante de grupos pequenos e situações informais. 

Assim TAS costuma comprometer de forma intensa a vida da pessoa, visto que faz a pessoa se isolar. 

Uma vez que faz com que a pessoa acabe ocasionando a perda de oportunidades, como emprego, relacionamentos e outras atividades.

É importante lembrar que sentimentos de timidez ou desconforto em determinadas situações não são necessariamente sinais de transtorno de ansiedade social. 

Este transtorno é um medo que deixa a pessoa propensa a evitar situações sociais por medo de dizer ou fazer algo que considera “errado”

O transtorno de ansiedade social geralmente, acompanha uma autoestima rebaixada e um forte medo de ser criticado.

As fobias específicas são medos extremos, irracionais e persistentes frente a um objetivo, animais ou situações específicas. 

O principal mecanismo de defesa é a evitação, que, muitas vezes, resulta em problemas. 

Só para exemplificar a pessoa deixa de fazer uma viagem por medo de voar de avião, não visita amigos que tenham um animal que lhes desperte a fobia, etc. 

A fobia específica é marcada pela ansiedade antecipatória. 

O medo apresenta sintomas físicos e comportamentos de esquiva ou fuga.

A agorafobia trata-se do medo excessivo de espaços abertos, multidões e situações em que haja dificuldade de fuga.

Só para exemplificar a pessoa tem problema com elevadores, lojas, show, teatro, cinema, transportes coletivos, entre outros. 

O medo também se instala quando a pessoa está sozinha, mesmo que seja em sua própria casa. 

Muitos pacientes com agorafobia também têm síndrome do pânico, o que pode afetar tão intensamente sua vida, fazendo com que ele não consiga sair de casa.

Dúvidas básicas para você saber se é hora de buscar ajuda 

Diferença de medo e fobia? 

Em resumo medo é uma resposta biológica de proteção frente a uma situação de ameaça ou perigo, enquanto que o medo se torna uma fobia a partir do momento que a sua intensidade é muito superior ao risco, a ponto de impedir certas exposições, como dirigir um automóvel. 

O medo pode ser gerenciado, enquanto a fobia geralmente são extremas e de difícil controle.

Excesso de medo pode virar fobia? 

Sim, a fobia se manifesta quando o medo se torna intenso e irracional. 

Quais são os sintomas da fobia? 

Os sintomas físicos de uma reação fóbica podem incluir:

  • tremores,
  • espasmos,
  • tensão muscular,
  • rubores,
  • palidez,
  • sudorese,
  • aumento da frequência miccional e da frequência cardíaca,
  • entre outros.

Em relação aos sintomas psicológicos, incluímos a dificuldade de concentração, insônia, sensação de apreensão, controle excessivo, entre outros. 

Como explicar para as pessoas que tenho fobia? 

Cada pessoa e cada situação deve ser tratada de maneira individual, mas assumir de maneira honesta e verdadeira já é o começo de um progresso terapêutico. 

Fobia tem tratamento? 

Sim, e o principal objetivo do tratamento é corroborar na redução do medo e do comportamento de evitação para um grau que não ocasione tanto desconforto e limitação. 

Quando é a hora de buscar ajuda? 

No momento que esse medo venha a interferir na vida sócio ocupacional do paciente. Se você deixa de fazer as atividades por não conseguir encarar a situação. 

Quem são os profissionais que podem me ajudar no tratamento? 

Tanto psicólogos quanto psiquiatras podem ajudar no tratamento. Em muitos casos o trabalho desses profissionais se complementam. 

Como a realidade virtual auxilia no tratamento? 

Nos tratamentos convencionais para fobias, o enfrentamento do medo é feito normalmente pela imaginação, com situações sendo sugeridas e o paciente pensando nelas, de forma gradativa.

Com o uso da realidade virtual, o tratamento acaba sendo mais intenso e real, colocando o paciente em cenários que lhe causam medo. 

Fobia tem cura? 

Tanto o medo desproporcional quanto as fobias específicas podem ser superadas ou pelo menos obter uma redução significativa por meio da psicoterapia. 

Segundo o Instituto Nacional de Saúde Mental dos EUA, cerca de 75% das pessoas com fobias específicas superam seus medos por meio da terapia cognitivo-comportamental. 

Enquanto 80% das pessoas com fobia social encontram alívio usando medicação, terapia ou uma combinação das duas. 

Psicóloga explica a diferença de medo e fobia no Programa Encontro da TV Globo. 

Você pode agendar a sua consulta clicando aqui.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *